domingo, 20 de maio de 2012

Aquilo que volta todos os anos

Hoje é o meu aniversário! Nasci a 20 de Maio, numa quinta-feira, pelas 20.30 horas, há 41 anos. Como fui apressada, nasci em casa, contrariando todos os preparativos que os meus pais tinham feito. Decidi nascer a 20 e não uns dias depois como estava previsto. É uma característica minha, fazer o que me apetece, independentemente do que os outros pensem ou digam, e que pelos vistos me acompanha desde nascença. Ao pensar no meu aniversário, verifiquei que pouco ou nada sabia acerca dos rituais que se realizam nesta celebração e decidi investigar. Comecemos pela própria palavra: aniversário, provém da palavra latina anniversarius, de annus (ano) e vertere (voltar), que significa aquilo que volta todos os anos...e ainda bem que volta! Se fosse uma romana da antiguidade, diria que hoje é o meu dies sollemnis natalis, já que era assim que os antigos romanos designavam o dia de comemoração do seu nascimento. Segundo refere Pedro  Funari (historiador brasileiro) há um registo do século II em que uma cidadã chamada Cláudia Severa convida a sua amiga Sulpícia Lepidina para a comemoração do seu aniversário. Outro facto que reforça a ideia de que os romanos comemoravam o dia de nascimento, é a existência de túmulos onde estão registados com grande precisão os anos, meses e dias de vida do defunto, o que significa que davam grande importância ao dia em que nasciam. 
No entanto é aos gregos, que devemos a tradição do bolo de aniversário. Segundo alguns historiadores, na antiga Grécia era tradição a oferta de um bolo de mel, redondo em forma de lua, com velas acesas à Deusa Artemis (Diana, segundo os romanos) associada à caça, à lua e à fertilidade. No seu templo em Éfeso, os antigos gregos tentavam assim obter boa sorte e afastar os maus espíritos, já que acreditavam que a vela tinha um poder sagrado de afastar o demónio (Daimon em grego significa demónio) e que o fumo resultante de uma vela acabada de apagar, levaria os desejos formulados aos Deuses do Monte Olimpo. Até ao século IV, a Igreja Católica rejeitou a celebração do dia de nascimento, pois considerava esta festividade de origem pagã e não vemos nas Escrituras ninguém que haja celebrado uma festa ou celebrado um grande banquete no dia do seu natalício. Somente os pecadores (como Faraó e Herodes) celebraram com grande regozijo o dia em que nasceram neste mundo (Enciclopédia Católica, edição de 1911). Só no século V é que a Igreja Católica  através do Papa Júlio I, institui a comemoração do nascimento de Jesus no dia 25 de Dezembro, tentando assim substituir os rituais pagãos que nesse dia celebravam o Solstício de Inverno, por uma festa cristã. No entanto, a comemoração do dia de aniversário não é seguido por todas as culturas de forma igual. No Vietname, por exemplo, o dia de aniversário não é celebrado individualmente, mas de uma forma colectiva no ano novo vietnamita, o que acontece entre os dias 21 de Janeiro e 9 de Fevereiro, segundo o nosso calendário gregoriano. 
E como numa celebração não pode faltar a música, a canção Parabéns a você tradicionalmente cantada durante a comemoração, teve origem numa música composta por Mildred e Patrícia Smith Hill, irmãs e professoras na escola Louisville Experimental Kindergarten School do Kentucky, em 1874. Good morning to all, assim se chamava, era cantada pelas crianças todos os dias, no momento em que entravam na escola. No ano de 1924, Robert Coleman publica, num livro por si editado, a música de  Good morning to all com uma nova letra e com o título de Happy Birthday to you. Esta versão ganhou imensa popularidade e tornou-se símbolo das festividades de aniversário. Em 1933,  Jessica Hill, irmã das autoras acusou Robert Coleman de plágio e reivindicou na justiça os direitos de autor. A partir de então, todas as vezes que a música Parabéns a você é tocada na rádio, na televisão, cinemas ou noutros meios de transmissão são cobrados direitos de autor. A Warner, actual detentora destes direitos, obteve em 2002 mais de 2 milhões de dólares de direitos de autor. A 8 de Março de 1969, Happy Birthday to You, tornou-se na primeira música a ser cantada no espaço, quando os astronautas da Apollo IX a entoaram para celebrar o aniversário do director de voo Christopher Columbus Kraft Jr. Agora, depois de relembrar a origem dos símbolos associados ao aniversário, só me falta celebrar o meu dia de nascimento, relembrando todos aqueles que me acompanharam ao longo destes 41 anos de vida. É expressão popular dizer-se que se nasce e se morre sozinho, mas contrapondo esta expressão, eu digo que não há nada como viver na companhia de familiares e amigos e celebrar aquilo que volta todos os anos. E que volte por muitos mais!