terça-feira, 24 de abril de 2012

A dança das terras de Miranda

Pauliteiros de Miranda é o nome pelo qual é conhecido o grupo de oito homens que executam a dança tradicional de Miranda do Douro, terra de Trás-os-Montes, também conhecida por dança dos paus. O nome pauliteiro tem origem na palavra paulito, que significa pequeno pedaço de madeira ou pau pequeno. A sua origem não reúne consenso. Poderá ter sido na Idade do Ferro, na Europa Central em terras da Transilvânia, sendo inicialmente uma dança de espadas que se espalhou pela Europa até chegar à Península Ibérica. Estrabão, geógrafo, filósofo e historiador grego, descreve que os celtiberos se preparavam para os combates com danças guerreiras onde as espadas eram substituídas por pequenos paus, evitando assim riscos desnecessários. Alguns autores, como o Abade de Baçal, defendem que a sua origem está na dança pirrica (dança guerreira executada com armas na mão), tradicional dos antigos Gregos, que assim preparavam os homens para os combates. Posteriormente  esta dança foi usada para celebrar as colheitas e os solstício de Inverno e de Verão. Independentemente da sua origem é uma dança tradicional com características muito próprias: oito homens acompanhados de três músicos. A gaita de foles, o bombo e a caixa de guerra, são os instrumentos musicais responsáveis pela melodia de cada Lhaço, nome mirandês para designar a melodia, a letra e a coreografia de cada dança executada. Cada pauliteiro tem ainda um par de castanholas. O traje é também muito original sendo composto por : um chapéu decorado, um colete em sorrubeco (tecido grosso) trabalhado, uma camisa e uma saia em linho trabalhado, lenços, meias altas em lã pura e as botas em pele. Segundo a tradição popular, esta indumentária tenta recriar o traje guerreiro dos celtiberos. É de facto uma herança cultural que foi passando de geração em geração, até aos nossos dias. Usando a língua tradicional de Miranda, o mirandês posso afirmar que Ls Pauliteiros de Miranda son l'ourgulho de las sues gientes! (Os Pauliteiros de Miranda são o orgulho das suas gentes!)